Ir para o topo

Compartilhe

BOLSAS PARA JORNALISTAS

Uso ilegal de dados pessoais nas eleições 2022

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Transparência Internacional – Brasil e Associação Data Privacy Brasil de Pesquisa convidam jornalistas e estudantes de jornalismo do país a concorrerem a uma bolsa de reportagem para investigação do uso ilegal de dados pessoais nas Eleições 2022. Serão 5 bolsas, no valor de R$ 5.000,00 cada. A iniciativa conta com o apoio da ABRAJI – Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo.

Sobre a oportunidade

Um dos problemas centrais nas eleições de 2022 será o uso abusivo de dados pessoais para disparo automatizado de mensagens em massa, influenciando o processo eleitoral por meio de campanhas coordenadas de ataques reputacionais e desinformação. Dentre os ilícitos eleitorais, a venda ou cessão de dados cadastrais por empresas, igrejas, órgãos públicos, entre outros, são alguns exemplos de práticas já apuradas por jornalistas em 2018 e que trazem riscos à democracia em nível local e regional, como territórios controlados por milícias, grupos políticos e financeiros engajados na desinformação para minar candidaturas contrárias a seus interesses. O recebimento de mensagens indesejadas de cunho eleitoral é um dos indícios desse tipo de crime.

A presente convocatória tem o objetivo de estimular a investigação do uso ilegal de dados pessoais nas Eleições 2022, contribuindo para que práticas abusivas de desinformação sejam barradas. Para isso, serão oferecidas até 5 bolsas para jornalistas ou estudantes de jornalismo que propuserem pautas inspiradas no tema.

O grupo ainda terá acesso a encontros de mentoria com jornalistas renomados e com integrantes da Transparência Internacional – Brasil e Data Privacy, além de suporte de um grupo jurídico eleitoral, com orientações a respeito de provas relevantes e decisões judiciais sobre o tema. Os profissionais selecionados também farão reuniões remotas, de planejamento e acompanhamento, durante o processo de apuração e elaboração da reportagem, em datas a serem combinadas.

Atividades 

  • Participar de reuniões e mentorias para explanação sobre ilícito de dados; 
  • Compartilhar informações com a gerência do projeto e, possivelmente, com outros parceiros jornalistas;
  • Coletar evidências sobre o uso indevido de tecnologias para a desinformação no contexto eleitoral para a produção de reportagens investigativas e elaboração de denúncia qualificada junto aos órgãos de controle relacionados;  
  • Consultar as organizações e mentores do projeto em caso de dúvidas sobre as provas;   
  • Produzir reportagem sobre o uso ilícito de dados e possibilidades no uso abusivo da tecnologia envolvendo uso ilícito de dados, durante o período eleitoral, que podem ser problemáticas para a realização de eleições seguras.  

Cronograma

  • 22/08: Lançamento da convocatória
  • 30/08: Devolutiva das/os selecionadas/os e assinatura do termo de compromisso
  • 31/08 a 28/10: Apuração e produção da reportagem com edição e publicação idealmente anterior a 28 de outubro

Cooperação

As pessoas interessadas devem escrever para o e-mail brasil@br.transparency.org até as 10h da manhã do dia 26/08 (horário de Brasília) manifestando interesse e trazendo breve resumo de sua carreira profissional ou estudantil e experiência com o tema.

As/os jornalistas selecionados serão contatados até 30/08 e receberão um termo de compromisso, o qual não constituirá vínculo empregatício. Apoiamos a candidatura de pessoas diversas para dar ênfase a pluralidade de narrativas, especialmente pessoas negras, mulheres, LGBTQIA+, PCD e indígenas. Caso se identifique com algum desses grupos, favor mencionar no corpo do e-mail.

As/os jornalistas receberão 30% do valor da bolsa como adiantamento, mediante assinatura do termo de compromisso, e 70% após a aprovação final da reportagem. O valor deve cobrir todos os custos da apuração e produção da reportagem.

Sobre as organizações

A Associação Data Privacy Brasil de Pesquisa é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, que promove a proteção de dados pessoais e outros direitos fundamentais diante da emergência de novas tecnologias, desigualdades sociais e assimetrias de poder. Conta com uma equipe multidisciplinar de diferentes regiões brasileiras que desenvolve pesquisas de interesse público, notas técnicas, textos de análise sobre assuntos emergentes, formações com agentes decisórios e com a sociedade de um modo geral.

A Transparência Internacional é um movimento global e independente que tem uma visão: um mundo onde governos, empresas e o cotidiano das pessoas sejam livres de corrupção. Sua missão é combater a corrupção por um mundo com justiça social, realização de direitos, prosperidade e paz. Com presença em mais de 100 países em todo o mundo e um secretariado internacional em Berlim, a organização lidera a luta contra a corrupção para tornar essa visão uma realidade.

A ABRAJI – Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo é uma instituição independente, formada e mantida por jornalistas que promove o aprimoramento profissional do jornalismo e a difusão dos conceitos e técnicas da reportagem investigativa. Entre os pilares do jornalismo defendidos pela ABRAJI estão a luta pelo direito de acesso à informações públicas e pela liberdade de expressão.

Realização:

Apoio:

Imagem de capa: Freepik

Posts relacionados