Ir para o topo

Compartilhe

Recomendações de Transparência e Governança Pública para Prefeituras

Publicação oferece informações práticas para fomentar transparência, integridade e participação cidadã nos municípios brasileiros.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Os mecanismos que os municípios adotam para darem transparência às suas ações e cumprirem essa obrigação legal são, muitas vezes, adotados sem uniformidade e abrindo mão de escutar a sociedade ou garantir sua participação nos espaços de decisão.

Nossa contribuição para enfrentar esse problema, em parceria com o Instituto de Governo Aberto (IGA), é a publicação Recomendações de Transparência e Governança Pública para Prefeituras, que oferece aos gestores públicos municipais um compilado de princípios, obrigações legais, recomendações, boas práticas e orientações para o fortalecimento da integridade, da transparência e da participação cidadã na administração pública das cidades brasileiras. 

“A transparência pública é um elemento basilar para a democracia e um dos modos mais eficazes para prevenir e combater a corrupção, ainda mais eficiente quando aliada a mecanismos de governança pública e integridade e espaços de participação social”

Amanda Faria Lima, analista no Programa de Integridade e Governança Pública da Transparência Internacional – Brasil.

Reconhecendo ainda o período excepcional em que o Brasil e o mundo vivem com a pandemia causada pela Covid-19, o documento traz recomendações específicas para a promoção da transparência, da participação e da boa governança na saúde pública municipal

O que esperamos é que “este guia sirva de inspiração para todas e todos que trabalham nas prefeituras municipais brasileiras. As propostas apresentadas devem ser compreendidas como recomendações importantes e viáveis, levando em conta, no momento de sua implementação, as especificidades e limitações aplicáveis a cada município”. 

Gabriela Boechat, consultora no Instituto de Governo Aberto.

As Recomendações de Transparência e Governança Pública para Prefeituras foram construídas a partir da legislação brasileira e das melhores práticas propostas por especialistas e entidades nacionais, passando ainda por um processo de consulta para adequá-las também à realidade de municípios pequenos e médios.  

“Ainda que exista uma diversidade significativa de capacidade material, técnica e financeira, as recomendações trazem orientações realistas e que acreditamos que podem contribuir com o aprimoramento da transparência e integridade dos mais diversos municípios”, completa Amanda. 

Acompanhe a página desta iniciativa e acesse a íntegra da publicação aqui.

Sobre o Índice de Transparência e Governança Pública 

A publicação das Recomendações de Transparência e Governança Pública para Prefeituras integra as ações do Índice de Transparência e Governança Pública, iniciativa da Transparência Internacional – Brasil que busca avaliar e fomentar o acesso à informação, dados abertos, participação social, transformação digital e combate à corrupção nos mais diversos níveis federativos e de poderes do país. 

“Em 2020, com a pandemia de Covid-19, lançamos o Ranking de Transparência no Combate à Covid-19, um esforço pioneiro e reconhecido internacionalmente de incentivar a transparência nos estados e capitais brasileiros que gerou engajamento efetivo das autoridades públicas e mudou o nível de transparência no país. A partir dessa experiência, surge o Índice de Transparência e Governança Pública, uma metodologia permanente que tem como objetivo avaliar transparência e governança pública de forma mais ampla”

Nicole Verillo, gerente de Apoio e Incidência Anticorrupção da Transparência Internacional – Brasil.

O Índice de Transparência e Governança Pública será implementado ao longo de 2022, em três frentes distintas de trabalho. Primeiramente, serão avaliadas pela Transparência Internacional – Brasil as ações do Poder Executivo nos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal. Em uma segunda frente, serão avaliados órgãos do Poder Legislativo, o que abrange as 26 assembleias legislativas estaduais, a Câmara Legislativa do Distrito Federal, a Câmara dos Deputados e o Senado Federal. 

No nível do Executivo Municipal, a Transparência elaboramos e disponibilizamos uma metodologia que permite avaliar a transparência e a integridade de prefeituras e está apoiando nove organizações locais da sociedade civil que farão sua aplicação em mais de 200 municípios de oito estados diferentes – Bahia (Instituto Nossa Ilhéus), Espírito Santo (Transparência Capixaba), Pará (Observatório do Marajó), Paraná (Movimento Popular AntiCorrupção Por Amor a Londrina), Piauí (Força Tarefa Popular), Rio Grande do Sul (Observatório Social do Brasil – São Leopoldo), São Paulo (Observatório Social do Brasil – Franca e Observatório Social do Brasil – Limeira), e Sergipe (Democratizou).   

Nesta quinta-feira, todas as prefeituras dos 202 municípios que serão avaliados – entre elas Melgaço, no Pará, que tem o pior IDH do Brasil, e todos os municípios do estado do Espírito Santo – receberam as recomendações através das organizações locais parceiras para que se engajem nesse esforço de aprimorar sua transparência e governança. A partir de julho elas passarão a divulgar, regionalmente em seus estados, o Ranking de Integridade e Governança Pública dos municípios avaliados. 

“Não há como combater a corrupção e garantir direitos sem transparência e participação real da sociedade. Nossa experiência com o Ranking Covid-19 em 2020 mostrou que há uma demanda expressiva por parte de gestores públicos para este tipo de orientação porque muitos realmente querem melhorar. A metodologia de avaliação pretende fomentar mais uma vez a competição positiva entre os municípios, a troca de boas práticas e a cooperação entre as prefeituras e a sociedade civil para implementar mudanças nesses municípios”

conclui Nicole Verillo, gerente de Apoio e Incidência Anticorrupção da Transparência Internacional – Brasil.

Acompanhe a página desta iniciativa e acesse a íntegra da publicação aqui.

Posts relacionados