Sobre a Rede

A Rede Brasileira de Estudos e Práticas Anticorrupção – iniciativa da Transparência Internacional Brasil – busca incentivar, ampliar, qualificar, aplicar e perenizar o conhecimento sobre o fenômeno da corrupção no Brasil, profissionalizar o movimento anticorrupção no país, assim como capacitar atores-chave da área, através da cooperação sistematizada entre especialistas atuantes nos diferentes Poderes, na academia, no setor privado e na sociedade civil.

Para o alcance dos objetivos delineados, a Rede prevê, entre suas principais atividades, a promoção de encontros periódicos, cursos, eventos e grupos de estudo. Ainda sob o seu escopo de atuação, está a organização de publicações e de repositório de boas práticas de combate à corrupção, bem como a promoção de estudos sobre o tema da corrupção em seus diversos campos do conhecimento, como a ciência política, a administração pública, a economia e o direito.

A percepção sobre a necessidade de uma Rede plural, que articule acadêmicos e profissionais, partiu da constatação de que há poucos centros de pesquisa especializados e raras iniciativas que aproximem atores da área anticorrupção. Ao longo dos anos, a Transparência Internacional Brasil acumulou conhecimento sobre ferramentas e soluções anticorrupção e consolidou diversas parcerias nacionais e internacionais.

Conselho científico

O Conselho Científico tem como atribuições a formulação da política científica da Rede Brasileira de Estudos e Práticas Anticorrupção e o acompanhamento, assessoramento e orientação dos trabalhos da Secretaria Executiva. É composto por 5 (cinco) conselheiros, indicados pela Transparência Internacional Brasil, entre especialistas com notório conhecimento prático e acadêmico na área anticorrupção, para mandato de 2 anos.

Secretaria executiva

A Secretaria Executiva da Rede Brasileira de Estudos e Práticas Anticorrupção é responsável pela organização e execução das atividades da iniciativa, como publicações, eventos e cursos. Também garante o suporte técnico e administrativo necessário ao Conselho Científico.